O que é DevOps?

Aprenda tudo sobre o que é DevOps, as principais metodologias, ferramentas e automação de infraestrutura. 

O que é DevOps

DevOps é uma metodologia ou cultura que permite a criação e implantação de aplicativos com mais eficiência e confiabilidade por meio da integração e colaboração entre os times de desenvolvimento e operações de TI. O termo surgiu da combinação de Development e Operations, para sanar a necessidade do mercado de tecnologia de desenvolver e implantar software de forma mais rápida e eficiente.

Os profissionais de DevOps têm habilidades em programação, administração de sistemas, gerenciamento de projetos e outras áreas relacionadas. Eles trabalham com a automação de processos, a adoção de ferramentas adequadas, a implementação de práticas ágeis, e a criação de um ambiente em que as equipes possam trabalhar juntas para solucionar problemas e implementar melhorias.

Quais as ferramentas mais utilizadas no DevOps?

Existem muitas ferramentas de DevOps e as mais utilizadas são:

Ansible, Chef, Puppet e Terraform ajudam a automatizar a implantação e configuração de servidores e outros recursos de infraestrutura, tornando mais fácil para as equipes gerenciarem a infraestrutura de TI.

Jenkins, Travis CI, CircleCI e GitLab CI/CD são as principais ferramentas de integração contínua e entrega contínua (CI/CD) ajudando a automatizar a construção, teste e implantação de software, reduzindo o tempo e esforço necessários para implantar novas versões.

Prometheus, Grafana e ELK Stack (Elasticsearch, Logstash, Kibana) são ferramentas de monitoramento e registro. Elas ajudam as equipes de DevOps a monitorar e analisar dados de log e métricas para identificar problemas e otimizar o desempenho de sistemas.

Slack, Microsoft Teams e HipChat são ferramentas colaborativas que ajudam a melhorar a comunicação entre as equipes de desenvolvimento e operações de TI.

Jira, Trello e Asana são amplamente utilizados para gerenciamento de projetos e acompanhamento do progresso das tarefas em tempo real.

Ferramentas como OWASP ZAP e Burp Suite ajudam a identificar vulnerabilidades de segurança em aplicativos e sistemas de TI.

O Docker, Kubernetes e Vagrant ajudam a criar ambientes de desenvolvimento e produção isolados e replicáveis, facilitando a implantação de software.

Conheça os principais frameworks de DevOps

Há vários frameworks e modelos de DevOps disponíveis e cada um deles tem suas próprias abordagens e enfatiza diferentes aspectos da cultura, práticas e ferramentas. Por isso, as empresas devem escolher o modelo que melhor se adapta às suas necessidades e objetivos. Confira os principais:

  • Three Ways: O modelo Three Ways, proposto por Gene Kim, enfatiza a comunicação, a colaboração e o feedback constante como as principais formas de promover a cultura e práticas de DevOps.
 
  • CAMS (Culture, Automation, Measurement, Sharing): Este é um modelo semelhante ao CALMS, que enfatiza a cultura, a automação, a medição e o compartilhamento de conhecimento.
 
  • DASA (DevOps Agile Skills Association): O DASA é uma organização que propõe um framework de DevOps baseado em quatro pilares: Princípios e Valores, Skills e Competências, Frameworks e Métodos, e Continuous Delivery Ecosystem.
 
  • ITIL 4 (Information Technology Infrastructure Library): amplamente utilizado para gerenciamento de serviços de TI, a versão mais recente desse framework inclui princípios e práticas relacionados ao DevOps para promover a colaboração e a entrega rápida e confiável de serviços de TI.
 
  • SRE (Site Reliability Engineering): O SRE é um framework desenvolvido pelo Google para gerenciamento de operações de TI. Ele enfatiza a automação, a melhoria contínua e a colaboração entre equipes de desenvolvimento e operações.
 
  • SAFE (Scaled Agile Framework): O SAFE é um framework de gerenciamento de projetos ágeis que inclui práticas e ferramentas relacionadas ao DevOps, como automação e colaboração entre equipes.
 
  • CALMS (Culture, Automation, Lean, Measurement, Sharing): enfatiza a cultura, a automação, o lean e a medição como os principais pilares do DevOps, e também inclui o compartilhamento de conhecimento como um elemento-chave. 

DevOps CALMS: o que é e qual é a sua importância?

O CALMS é um dos modelos de DevOps mais populares pois cada estágio que o compõe é fundamental para a implementação bem-sucedida de uma cultura de DevOps e para melhorar a entrega de software de forma eficiente e confiável. O modelo foi criado por Jez Humble e Gene Kim  tem os seguintes estágios principais: Cultura, Automação, Lean e Mensuração e Compartilhamento (Culture, Automation, Lean, Measurement, Sharing)Entenda como funciona cada um deles abaixo:

A cultura é o primeiro estágio do CALMS e é a base do DevOps. Este estágio enfatiza a importância da colaboração, comunicação e confiança entre as equipes de desenvolvimento e operações de TI, bem como a adoção de uma mentalidade ágil e interativa.

O segundo estágio do CALMS é a automação. Este estágio envolve a automação de processos de desenvolvimento e operações de TI para acelerar a entrega de software e reduzir erros humanos.

O terceiro estágio é o Lean. Este estágio enfatiza a importância da melhoria contínua e da eliminação de desperdício no processo de entrega de software, utilizando princípios Lean para otimizar os processos de desenvolvimento e operações de TI.

O quarto estágio é a Mensuração. Este estágio envolve a medição e análise de métricas e indicadores de desempenho para identificar áreas para melhoria contínua e tomar decisões informadas sobre a entrega de software.

O quinto estágio é o CompartilhamentoO compartilhamento é essencial para a colaboratividade. Quando os times compartilham recursos e informações é possível resolver problemas e atingir os objetivos comuns com mais agilidade.

Integração contínua e cultura DevOps

Integração contínua (CI) é uma prática de desenvolvimento de software que se concentra na automação do processo de construção, teste e integração de código, com o objetivo de detectar erros o mais cedo possível e reduzir o tempo necessário para entregar software funcional.

A integração contínua faz parte das práticas DevOps e envolve a automação do processo de integração de código em um repositório central, o que permite que as equipes de desenvolvimento trabalhem em conjunto de forma mais eficiente e evita problemas de compatibilidade e conflitos de versões.

Na integração contínua DevOps, sempre que um desenvolvedor faz uma alteração no código, essa alteração é integrada automaticamente com o repositório central e uma série de testes automatizados são executados para garantir que o código continue funcionando corretamente. Se houver problemas, a equipe é notificada imediatamente e pode corrigi-los antes que o código seja implantado na produção.

A integração contínua ajuda a acelerar o processo de desenvolvimento, reduzindo o tempo necessário para detectar e corrigir erros e problemas de compatibilidade. Isso permite que as equipes de desenvolvimento entreguem software de alta qualidade mais rapidamente e de forma mais consistente.

Compartilhe este post em suas redes sociais:

Acesse outras postagens:

O que é DevOps: aprenda tudo sobre o tema

O que é DevOps? Aprenda tudo sobre o que é DevOps, as principais metodologias, ferramentas e automação de infraestrutura.  O que é DevOps DevOps...

Big Data para Monetização de Dados

Big Data para Monetização de Dados Todos os dias, milhares de dados são gerados por clientes no mundo inteiro. Você já parou para pensar em como...

Big Data para Manutenção Preditiva faz toda a diferença!

Big Data para Manutenção Preditiva faz toda a diferença! A análise de big data está ultrapassando a posição de curiosidade intelectual e está...