O que é DevOps?

Aprenda tudo sobre o que é DevOps, as principais metodologias, ferramentas e automação de infraestrutura. 

O que é DevOps

DevOps é uma metodologia ou cultura que permite a criação e implantação de aplicativos com mais eficiência e confiabilidade por meio da integração e colaboração entre os times de desenvolvimento e operações de TI. O termo surgiu da combinação de Development e Operations, para sanar a necessidade do mercado de tecnologia de desenvolver e implantar software de forma mais rápida e eficiente.

Os profissionais de DevOps têm habilidades em programação, administração de sistemas, gerenciamento de projetos e outras áreas relacionadas. Eles trabalham com a automação de processos, a adoção de ferramentas adequadas, a implementação de práticas ágeis, e a criação de um ambiente em que as equipes possam trabalhar juntas para solucionar problemas e implementar melhorias.

Quais as ferramentas mais utilizadas no DevOps?

Existem muitas ferramentas de DevOps e as mais utilizadas são:

Ansible, Chef, Puppet e Terraform ajudam a automatizar a implantação e configuração de servidores e outros recursos de infraestrutura, tornando mais fácil para as equipes gerenciarem a infraestrutura de TI.

Jenkins, Travis CI, CircleCI e GitLab CI/CD são as principais ferramentas de integração contínua e entrega contínua (CI/CD) ajudando a automatizar a construção, teste e implantação de software, reduzindo o tempo e esforço necessários para implantar novas versões.

Prometheus, Grafana e ELK Stack (Elasticsearch, Logstash, Kibana) são ferramentas de monitoramento e registro. Elas ajudam as equipes de DevOps a monitorar e analisar dados de log e métricas para identificar problemas e otimizar o desempenho de sistemas.

Slack, Microsoft Teams e HipChat são ferramentas colaborativas que ajudam a melhorar a comunicação entre as equipes de desenvolvimento e operações de TI.

Jira, Trello e Asana são amplamente utilizados para gerenciamento de projetos e acompanhamento do progresso das tarefas em tempo real.

Ferramentas como OWASP ZAP e Burp Suite ajudam a identificar vulnerabilidades de segurança em aplicativos e sistemas de TI.

O Docker, Kubernetes e Vagrant ajudam a criar ambientes de desenvolvimento e produção isolados e replicáveis, facilitando a implantação de software.

Conheça os principais frameworks de DevOps

Há vários frameworks e modelos de DevOps disponíveis e cada um deles tem suas próprias abordagens e enfatiza diferentes aspectos da cultura, práticas e ferramentas. Por isso, as empresas devem escolher o modelo que melhor se adapta às suas necessidades e objetivos. Confira os principais:

  • Three Ways: O modelo Three Ways, proposto por Gene Kim, enfatiza a comunicação, a colaboração e o feedback constante como as principais formas de promover a cultura e práticas de DevOps.
 
  • CAMS (Culture, Automation, Measurement, Sharing): Este é um modelo semelhante ao CALMS, que enfatiza a cultura, a automação, a medição e o compartilhamento de conhecimento.
 
  • DASA (DevOps Agile Skills Association): O DASA é uma organização que propõe um framework de DevOps baseado em quatro pilares: Princípios e Valores, Skills e Competências, Frameworks e Métodos, e Continuous Delivery Ecosystem.
 
  • ITIL 4 (Information Technology Infrastructure Library): amplamente utilizado para gerenciamento de serviços de TI, a versão mais recente desse framework inclui princípios e práticas relacionados ao DevOps para promover a colaboração e a entrega rápida e confiável de serviços de TI.
 
  • SRE (Site Reliability Engineering): O SRE é um framework desenvolvido pelo Google para gerenciamento de operações de TI. Ele enfatiza a automação, a melhoria contínua e a colaboração entre equipes de desenvolvimento e operações.
 
  • SAFE (Scaled Agile Framework): O SAFE é um framework de gerenciamento de projetos ágeis que inclui práticas e ferramentas relacionadas ao DevOps, como automação e colaboração entre equipes.
 
  • CALMS (Culture, Automation, Lean, Measurement, Sharing): enfatiza a cultura, a automação, o lean e a medição como os principais pilares do DevOps, e também inclui o compartilhamento de conhecimento como um elemento-chave. 

DevOps CALMS: o que é e qual é a sua importância?

O CALMS é um dos modelos de DevOps mais populares pois cada estágio que o compõe é fundamental para a implementação bem-sucedida de uma cultura de DevOps e para melhorar a entrega de software de forma eficiente e confiável. O modelo foi criado por Jez Humble e Gene Kim  tem os seguintes estágios principais: Cultura, Automação, Lean e Mensuração e Compartilhamento (Culture, Automation, Lean, Measurement, Sharing)Entenda como funciona cada um deles abaixo:

A cultura é o primeiro estágio do CALMS e é a base do DevOps. Este estágio enfatiza a importância da colaboração, comunicação e confiança entre as equipes de desenvolvimento e operações de TI, bem como a adoção de uma mentalidade ágil e interativa.

O segundo estágio do CALMS é a automação. Este estágio envolve a automação de processos de desenvolvimento e operações de TI para acelerar a entrega de software e reduzir erros humanos.

O terceiro estágio é o Lean. Este estágio enfatiza a importância da melhoria contínua e da eliminação de desperdício no processo de entrega de software, utilizando princípios Lean para otimizar os processos de desenvolvimento e operações de TI.

O quarto estágio é a Mensuração. Este estágio envolve a medição e análise de métricas e indicadores de desempenho para identificar áreas para melhoria contínua e tomar decisões informadas sobre a entrega de software.

O quinto estágio é o CompartilhamentoO compartilhamento é essencial para a colaboratividade. Quando os times compartilham recursos e informações é possível resolver problemas e atingir os objetivos comuns com mais agilidade.

Integração contínua e cultura DevOps

Integração contínua (CI) é uma prática de desenvolvimento de software que se concentra na automação do processo de construção, teste e integração de código, com o objetivo de detectar erros o mais cedo possível e reduzir o tempo necessário para entregar software funcional.

A integração contínua faz parte das práticas DevOps e envolve a automação do processo de integração de código em um repositório central, o que permite que as equipes de desenvolvimento trabalhem em conjunto de forma mais eficiente e evita problemas de compatibilidade e conflitos de versões.

Na integração contínua DevOps, sempre que um desenvolvedor faz uma alteração no código, essa alteração é integrada automaticamente com o repositório central e uma série de testes automatizados são executados para garantir que o código continue funcionando corretamente. Se houver problemas, a equipe é notificada imediatamente e pode corrigi-los antes que o código seja implantado na produção.

A integração contínua ajuda a acelerar o processo de desenvolvimento, reduzindo o tempo necessário para detectar e corrigir erros e problemas de compatibilidade. Isso permite que as equipes de desenvolvimento entreguem software de alta qualidade mais rapidamente e de forma mais consistente.

Compartilhe este post em suas redes sociais:

Acesse outras postagens:

Governança de Dados: Um Guia Essencial para Empresas Modernas

Governança de Dados: Um Guia Essencial para Empresas Modernas de negócio À medida que entramos em uma era com informações não apenas abundantes, mas...

Cresça mais com IA generativa para marketing e vendas

IA Generativa para Marketing e Vendas: transformando tecnologia em resultados de negócio A Inteligência Artificial (IA), especialmente da IA...

O que é DevOps: aprenda tudo sobre o tema

O que é DevOps? Aprenda tudo sobre o que é DevOps, as principais metodologias, ferramentas e automação de infraestrutura.  O que é DevOps DevOps...