Como proteger seu e-commerce contra ameaças virtuais?

Não é novidade para ninguém que o comércio eletrônico está mudando completamente o modo de gerenciamento dos negócios. 

 

A transformação digital pela qual estamos passando tem tornado o consumidor cada vez mais exigente e dinâmico no que tange à busca de um produto pela internet.

 

Onde comprar? Como comprar? Esse lugar é seguro? Essas são algumas das perguntas que eu e você fazemos na hora de decidir em qual site adquirir um produto. Nesse aspecto, é vital que as empresas elaborem projetos de e-commerce que elevem não só a qualidade do serviço oferecido ao cidadão, como também garantam a proteção dos dados do consumidor.

 

Sem a proteção adequada, um ataque pode causar impacto no negócio, resultando em perdas financeiras e de imagem a ponto de afetar não somente o Market Share da companhia, como também a viabilidade financeira do e-commerce.

 

Ciberataques mais comuns no universo e-commerce

Existem algumas falhas que podem expor a fragilidade de um e-commerce. Elas podem ir desde a simples desatenção no gerenciamento dos servidores e sites (que sem as devidas atualizações e configurações necessárias podem ficar expostos às mais variadas ameaças de segurança da web), até a falta de orçamento das empresas para o uso de ferramentas e auditorias que proporcionem segurança ao sistema.

 

 Aqui algumas das falhas causadas por ataques:

  • Manipulação do preço: o atacante consegue mudar o preço dos artigos manipulando a URL acessada.
  • Mensagens não solicitadas (SPAM Snowshoe): nessa modalidade de ataque, são colocados arquivos infectados num e-mail, direcionando o indivíduo a abrir o arquivo expondo, assim, os dados do computador.
  • Código malicioso: vírus, trojan horse (ou popularmente conhecido Cavalo de Tróia) e malwares são usados para infectar o computador da vítima com o objetivo de roubar informações como senha de cartões de crédito. Esses ataques podem usar e-mail, pen-drive, sites maliciosos ou compartilhamento de arquivos.
  • Negação de serviço: alguns sites de e-commerce podem sofrer com uma quantidade de requisição maior do que está preparado para processar, afetando assim o seu funcionamento e, consequentemente, as vendas.
  • Roubo de informações: como muitos sites permitem que as informações do cartão de crédito possam ser armazenadas nos bancos de dados, alguns ataques são direcionados para invadir esses sistemas e roubar os dados de compra dos clientes.

Protegendo o comércio eletrônico na web

Por sorte, existem ferramentas e práticas que o empreendedor pode tomar para evitar ciberataques aos dados de sua rede e-commerce.

  • Instalação de poucos programas ou bibliotecas para ter o servidor funcionando;
  • Usar proteção Anti-DDoS na frente do servidor e à nível de aplicação;
  • Instalar e manter atualizados os programas e bibliotecas com as correções disponibilizadas;
  • Restringir o acesso a usuários administradores, estabelecendo uma política forte para senhas;
  • Balancear o tráfego para mais de um servidor, a fim de garantir alta-disponibilidade;
  • Posicionar um firewall de aplicação web (WAF) e configurar de acordo ao ambiente e regras de negócios;
  • Auditar o código da aplicação;
  • Configurar o site com HTTPS (o famoso certificado digital);
  • Realizar backups periódicos dos dados (esse um dos mais importantes, para você não ter dor de cabeça num ataque virtual);
  • Solicitar um segundo fator de autenticação ao usuário para transações críticas, seja por SMS, aplicação para smartphone, entre outras.

Mais do que tudo isso, é preciso que os empreendedores tenham a consciência de que a segurança cibernética está diretamente e, principalmente, ligada ao negócio digital, sendo tão necessárias quanto a própria infraestrutura do e-commerce.


Portanto, negligenciar essa realidade é a mesma coisa que abrir uma loja no centro da cidade e não colocar portas e fechaduras.
Fonte: Canaltech

Compartilhe este post em suas redes sociais:

Acesse outras postagens:

O que é DevOps: aprenda tudo sobre o tema

O que é DevOps? Aprenda tudo sobre o que é DevOps, as principais metodologias, ferramentas e automação de infraestrutura.  O que é DevOps DevOps...

Big Data para Monetização de Dados

Big Data para Monetização de Dados Todos os dias, milhares de dados são gerados por clientes no mundo inteiro. Você já parou para pensar em como...

Big Data para Manutenção Preditiva faz toda a diferença!

Big Data para Manutenção Preditiva faz toda a diferença! A análise de big data está ultrapassando a posição de curiosidade intelectual e está...